De empregado a empresa – Introdução

Olá pessoal, nos últimos tempos estive ocupado tentando sobreviver nesse mundo freelancer e cheguei a conclusão que eu não quero ser freelancer pro resto da minha vida. Isso porque sempre tive o sonho de ter minha empresa, contratar pessoas, ajudar no crescimento do meu país. E observando o cenário nacional, não há melhor época para empreender, tendo em vista a quantidade de investimento chegando no Brasil. Portanto resolvi iniciar o projeto de abrir minha empresa, a Pavão Web. Ao longo das próximas semanas ou meses poderei compartilhar com vocês essa minha nova experiência e quem sabe dar dicas com o objetivo de poupar o caminho de futuros empreendedores. Empreendedor

O verdadeiro motivo

Como eu disse na introdução, sempre tive o objetivo de fundar minha empresa, produzir meus produtos e soluções e ajudar no crescimento do meu país. Sendo esse o principal motivo, não poderia deixar de destacar um outro tão importante quanto. Nesses últimos meses me deparei com a desconfiança de alguns prospects com o trabalho freelancer. O fato é que muitas pessoas que atuam nessa modalidade também trabalham no modo formal (CLT),  e acabam por decepcionar seus clientes quando não podem atender demandas ou necessidades que um profissional liberal full time ou empresa poderia fazer. Para mim, este é um grande problema de comunicação que gera desconfiança por parte das empresas. É importante que esses profissionais deixem claro sua posição e que as empresas, principalmente elas, entendam e aceitem isso. Obviamente não sou contra atuar nas 2 modalidades, até porque antes de me tornar freelancer full time eu fazia isso. Só gostaria de destacar a necessidade da clareza de comunicação para os futuros freelancers.

Por que não outsourcing ?

Uma das possibilidades de quem não deseja mais trabalhar como CLT e quer ser dono do seu próprio nariz é trabalhar na modalidade de outsourcing, ou seja, ser um terceirzado. Você é o famoso PJ e realiza demandas para uma outra empresa. Eu até acho interessante essa modalidade, mas acabaria por tomar o tempo que tenho para investir em minhas ideias.

Visão do futuro

Estamos diante de grandes possibilidades. O Brasil está recebendo muito dinheiro estrangeiro, então se você tem uma ideia, tire-a do papel, faça um plano de negócios, um mockup da sua ideia e ponha o carro na rua. As cartas estão aí. Nosso país é uma nação em construção, e há grandes chances de criar produtos que captem grande fatia do mercado nos próximos anos. E o país precisa de cada vez mais empreendedores gerando empregos e renda.

Conclusão

Bom, eu realmente não sabia que era tão nacionalista, mas o fato de criar uma empresa envolve uma série de sentimentos. Quero ajudar meu país, ser bem sucedido, ter reconhecimento e alcançar uma determinada independência financeira. E a única maneira que enxerguei para alcançar isso, aos 25 anos, é criando minha empresa. Poderia ter me associado a alguém, e ainda não desisti de me associar, mas é complicado você encontrar pessoas com valores e ideias semelhantes as suas. Espero nos próximos artigos compartilhar mais ideias, fontes de inspiração e dicas sobre como se tornar um bom empreendedor.

Abraços.

Créditos da imagem: Gettyimages

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>